Stella Folks expia os dilemas da pandemia em novo single “Fundo do Poço”

Banda de Florianópolis apresenta a primeira da série de quatro músicas compostas no meio da “tempestade” de 2020. Aviso aos navegantes: não tem vista do canal, somente a o vislumbre de uma superfície nebulosa.

 

O ano era 2019 e ainda que sombras já pairassem sobre os céus do país, a banda Stella Folks vislumbrava o seu lugar ao sol. O quarteto indie rock metia o pé na cena de Florianópolis com o seu primeiro álbum (“Stella Folks”, com produção de Alexei Leão), um prestigiado e reverberante show de lançamento no Teatro Álvaro de Carvalho e oferta de palcos para decantar a obra. Então veio 2020 e com ele a pandemia que varreu como uma tempestade a esperada “colheita”. Em meio a esse limbo ao qual fomos tragados, o grupo emerge agora com um novo e vibrante single, “Fundo do Poço”, o primeiro da série de quatro trabalhados durante esses tempos de isolamento e frustrações. Nada será como antes, inclusive a Stella.

“É a desigualdade, a desesperança, a raiva e o esgotamento que estão muito no foco dessa pandemia”, desabafa o vocalista Thiago Mates. Não por menos que “Fundo do Poço” foi a primeira a ser trabalhada para abrir a série de quatro singles, que serão lançados nos próximos meses, culminando em um EP. A composição é de André Guesser, atual baterista da Stella e ex-integrante da banda Samambaia Sound Club, com letra de outro ex-Samambaia, Jean Mafra – e isso diz muito sobre o caminho tomado pela banda para um encontro com o groove do funk 70, o post-punk 80 e o indie rock atual.

“Fundo do Poço” é explosiva, com boas incursões de disco, guitarra enterrada, uma cozinha pesada e synths dançantes. É nisso que reverbera a letra densa, que trata da vinda de uma tempestade arrasadora, sob o olhar de quem assiste ao “fundo desse poço”. Nas mãos do “núcleo duro” da Stella Folks (Thiago Mates/vocal, Raphael Faria/baixo, Rafael Pollmann/guitarra e André Guesser/bateria) a composição original ganhou peso e velocidade. Soma-se a isso, a sonoridade disco agregada com os teclados na participação do convidado Diego Stecanela (de Outros Bárbaros).

“Fundo do Poço” também difere das outras três que preparamos no ano passado e que virão na sequência. Mas uma coisa que estará muito presente nesses trabalhos é que a banda está fazendo mais barulho. Essa será a cara da nova Stella”, avisa o vocalista. “Fundo do Poço” deve ganhar um clipe em abril, mantendo uma linha de lançamentos de singles alternados com vídeos. É o possível dentro de uma realidade de imprevisibilidades, sujeita a intempéries, mas desta vez sem tempo para o silêncio. A previsão para os próximos tempos é barulho. Acostumem-se!

 

Confira “Fundo do Poço” no dia 26 de março nas plataformas Spotify, Deezer, Itunes, YouTube.

Siga @stellafolks

 

Ficha técnica

Música: André Guesser e Stella Folks

Letra: Jean Mafra

Bateria: André Guesser

Baixo: Raphael Faria

Voz: Thiago Mates

Guitarra: Rafael Pollmann

Teclados: Diego Stecanela

Gravação/mixagem/masterização: Rafael Pfleger

Produção e arranjos: Stella Folks

 

“Fundo do Poço” (Letra)

tempestade está chegando

nossas casas vão caindo

não fica nada de pé

sob chuva tão intensa

como essa de agora

um lugarejo qualquer

 

COMO O NOSSO, VIRA DESTROÇO

FAÇO O QUE POSSO PRA MANTER A FÉ

 

tempestade está caindo

mais um ano sem colheita

cê sabe como que é

banco leva nossa casa

que nem nossa era mesmo

seguimos em marcha ré…

 

EU ME ESFORÇO, FUNDO DO POÇO

FAÇO O QUE POSSO PRA MANTER A FÉ

 

tempestade que não finda

vê-se tudo lá de cima

lá das coberturas, zé

zé mané aqui embaixo

nas janelas vê os rostos

dos que lucram com até

 

DESGRAÇA NOSSA, NOSSO PESCOÇO

FAÇO O QUE POSSO PRA MANTER A FÉ

TAMO NA FOSSA, TÁ TUDO OSSO

FAÇA UM ESFORÇO E EU VOU METER O PÉ

Credito: Moysés Lavagnoli

Deixe uma resposta