Mercado imobiliário investe em tecnologia de carros elétricos como diferencial competitivo

O mercado imobiliário vem passando por grandes transformações e a pandemia acelerou novos modelos construtivos. Sempre atenta às novas tendências, a WKoerich, que figura como uma das principais construtoras de Santa Catarina, que tem à frente os empresários Walter Osli Koerich e seu filho, Walter Silva Koerich, vem investindo em alternativas para facilitar a vida de quem optou por carros movidos à eletricidade. “E esse investimento não é recente, nossa equipe de desenvolvimento está sempre em busca de novidades e produtos que possam agregar ao dia a dia dos nossos potenciais clientes, assim, entregar um empreendimento com ponto de abastecimento é se antecipar às mudanças e estar atento às necessidades do consumidor”, comenta o diretor da WKoerich, Walter Silva Koerich.

A demanda por infraestrutura para recarga de carros elétricos vem crescendo, acompanhando as vendas. O setor de carros eletrificados, que inclui os híbridos, teve alta de 77% em 2021 no Brasil, com recorde de participação do segmento no mercado como um todo no mês de dezembro. Segundo dados da Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE), só em dezembro foram vendidos 4.545 modelos eletrificados, recorde mensal desde 2012, quando a série histórica foi iniciada. É um resultado muito acima do mercado de veículos como um todo, que teve alta de 3% em 2021. Executivos do setor acreditam que 41% dos novos veículos vendidos no Brasil em 2030 serão elétricos.

Os números de Santa Catarina também impulsionam os investimentos. A quantidade de estações públicas e semipúblicas para a recarga de bateria de carro elétrico e híbrido plug-in cresceu mais de 50% em 2021. O salto foi de 500 para 754 eletropostos num período de apenas quatro meses, segundo dados da ABVE. O número deve ser ainda maior, uma vez que a pesquisa não considera os pontos de recarga instalados em condomínios, concessionárias e residências. O estado de São Paulo detém 49,3% das estações de recarga. Santa Catarina, com 11%, ocupa a segunda posição, com o Rio de Janeiro em terceiro com 9,3%.

“Temos percebido na prática essa tendência. Uma grande parcela de nossos potenciais clientes vem buscando esses diferenciais. Nos últimos cinco anos passamos por uma grande mudança no perfil do consumidor, na busca por metragens maiores de garagens pensando na nova configuração dos SUVs, além de espaços para lavação e manutenção automotiva e, num período mais recente, a busca é por opções para a recarga dos carros elétricos”, destaca o engenheiro Felipe Koerich.

A WKoerich já conta com quatro empreendimentos na Grande Florianópolis com a capacidade de atender a essa nova demanda, tanto em equipamentos residenciais, quanto na linha hoteleira e shopping center. O Beiramar Shopping, que conta com a tecnologia desde 2019, registra diariamente uma alta frequência de utilização dos postos de abastecimento e figura como o maior ponto com infraestrutura para recarga de carros elétricos e híbridos no sul do país. Na hotelaria, o WK Design Hotel, o primeiro hotel upscale da capital, também já chegou ao mercado com estações de recarga. Nos produtos residenciais, são dois empreendimentos que trazem esse novo conceito: no Atlantique Residence são quatro vagas com infraestrutura para instalação do equipamento e no Costa Azul Clube Residencial, o mais novo produto da construtora, localizado no Novo Estreito, na região continental, que irá figurar como um dos maiores residenciais da Grande Florianópolis, em um espaço com quase 50 mil metros quadrados, todas as vagas foram planejadas com a opção para receber a instalação do carregador elétrico de carro, diretamente no relógio de seu apartamento, garantindo ainda mais segurança. “Neste último empreendimento, a economia verde é um dos pilares. Ele foi planejado com foco na usabilidade e com a proposta de ressignificar o conceito de moradia e a aceitação do mercado nos deu ainda mais respaldo para continuarmos nesta linha”, comenta o engenheiro.

Em uma pesquisa recente feita em todo o país pelo Instituto Clima e Sociedade (iCS), 71% dos entrevistados afirmaram que, se pudessem escolher, teriam um carro elétrico. Como comparação, em 2017 esse percentual era de apenas 46% dos consultados. Globalmente, praticamente todas as maiores montadoras de automóveis já manifestaram claramente sua intenção de migrar seus modelos do petróleo para os elétrons dentro dos próximos 15 anos. E, aqui no Brasil, a previsão é de que até 2030 tenhamos um milhão de veículos elétricos nas ruas.

“É preciso observar os movimentos paralelos, a corrida das montadoras e os planejamentos urbanos, mas o público brasileiro está pronto para entrar com toda força nesta nova realidade e a construção civil pode antecipar tendências. Se lá no começo dos anos 1960, quando os automóveis começaram a se popularizar no Brasil, uma antecipação semelhante houvesse ocorrido em relação às vagas de garagem – o que só aconteceu em meados dos anos 1970, muitas situações teriam sido mais bem planejadas, bem como aconteceu na década de 1980, com a campanha pró-ácool, depois com os carros flex e os híbridos. E o mercado imobiliário precisa refletir este comportamento, provendo soluções. Oferecer essa facilidade é um forte diferencial competitivo, o consumidor gosta de saber que o empreendimento está preparado para o futuro, que nossas garagens estão preparadas para receber esses modernos gadgets e todos esses diferenciais tecnológicos ajudam no momento da decisão de compra”, finaliza o empresário Walter Silva Koerich.

Previous Post
Next Post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *