Empreendimento de Florianópolis é exemplo de práticas sustentáveis

MULTI Open Shopping carrega na essência a preocupação em seguir iniciativas que ajudem a construir um mundo melhor

 

As boas práticas de sustentabilidade estão presentes no MULTI Open Shopping muito antes do empreendimento, que se tornou referência para a região Sul da Ilha de Santa Catarina, ser construído. Localizado no Rio Tavares, em Florianópolis, o shopping a céu aberto carrega na sua essência a preocupação em seguir, e colocar em prática, iniciativas que ajudem a construir um mundo melhor. Tanto que é pioneiro na promoção da economia sustentável e no incentivo do consumo de alimentos agroecológicos e da produção familiar.

“Pensamos o MULTI como um local que pudesse promover a qualidade na rotina da vida das pessoas. Aqui você encontra lojas, operações gastronômicas, serviços, clínica médica, cinema e ainda profissionais liberais e diversas empresas nas 155 salas dos offices. No entanto, priorizamos desde o projeto uma série de pontuações e iniciativas sustentáveis que ajudam no cuidado com o meio ambiente em que vivemos”, destaca Sabrine Quarezemin, superintendente do MULTI.

A gestora de marketing do MULTI, Clarissa Carvalho, acrescenta que o open shopping atua na produção de felicidade com sustentabilidade, buscando sempre respeitar os recursos naturais, humanos, econômicos e sociais.

“Nossas atitudes na rotina operacional do condomínio e administração do open shopping buscam contribuir com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), propostos pela Organização das Nações Unidas (ONU)”, enfatiza Clarissa.

O empreendimento focado na busca da construção de um mundo mais sustentável, saudável, bem como numa sociedade justa e inclusiva. E para isso, coloca em prática uma série de iniciativas que ajudam a proporcionar bem-estar e qualidade de vida.

 

Práticas sustentáveis no MULTI:

 

– Estação Própria de Tratamento de Efluentes: inserido num dos principais bairros da Capital catarinense, o MULTI conta com uma Estação Própria de Tratamento de Efluentes. Essa gestão eticamente correta atende todas as exigências legais obrigatórias do plano diretor do município para o tratamento de resíduos.

 

– Coleta da água da chuva:  quatro caixas armazenam a água da chuva. Duas estão localizadas na cobertura e as outras duas, no subsolo. Juntas elas armazenam cerca de 11 mil litros de água, que são utilizadas na limpeza e irrigação dos jardins do empreendimento.

 

– Energia solar: é o único empreendimento a ter um modelo pioneiro na implementação de um sistema de energia solar na Grande Florianópolis. O modelo de zero investimento é fruto de uma parceria com a ElektSolar Innovations, que integra um dos offices, e um fundo de investimentos europeu. Desenvolvido desde 2018, o projeto teve a instalação de 75 módulos fotovoltaicos em abril de 2020 e outros 50 módulos em março de 2021 em cima do Bloco B. Atualmente são 125 módulos fotovoltaicos que geram energia suficiente para abater 75% do consumo de energia elétrica em áreas comuns do condomínio.

 

– Vagas de carros elétricos: estão em funcionamento, no estacionamento coberto no subsolo do empreendimento, quatro vagas para carros elétricos. A energia é proveniente das placas solares instaladas na cobertura do empreendimento.

 

– Bicicletário: o MULTI disponibiliza, desde a inauguração, bicicletários para estimular seus frequentadores a ter um estilo de vida saudável ao transitar de bicicletas.  Inicialmente eram 20 vagas, atualmente são 60, que estão localizadas nos estacionamentos da fachada e dos fundos do empreendimento. No subsolo disponibilizamos vagas cobertas para motos, também utilizadas por modelos de bike elétricas atualmente.

 

– Lixo zero: sem canudos e copos de plástico:  a utilização de canudos alternativos no MULTI começou antes mesmo da inauguração, ocorrida em 23 de março de 2018. O Botânico Colheita Criativa, restaurante que integra o mix gastronômico, abriu em fevereiro de 2018 no formato soft opening e trouxe a ideia do uso de canudos feitos de papel, macarrão, inox ou de vidro. Os demais restaurantes também foram se adequando, a fim de minimizar os resíduos plásticos no open shopping. Atualmente não são oferecidos mais canudos e copos plásticos descartáveis.

 

 – Coleta seletiva: o condomínio ampliou a área de descarte de resíduos de suas operações, seguindo as normas da ISO 14001 com coletores sinalizados e separados por tipo de resíduos. São coletores específicos para vidros, plásticos e papelão, que são destinados para reciclagem.

 

– Coleta de óleo: as operações gastronômicas participam do programa ReÓleo, desenvolvido pela Associação Comercial e Industrial de Florianópolis (ACIF).  O mesmo atua de maneira efetiva na redução do impacto que o óleo de cozinha provoca no meio ambiente e também na conscientização do descarte adequado do óleo saturado vegetal. São coletados recipientes com óleos que servem como base para a produção de sabão.

 

– Coleta de lixo eletrônico: o empreendimento conta com um Ponto de Entrega Voluntário (PEV) para resíduos eletroeletrônicos. A parceria com a empresa Weee.do e ACIF, busca oferecer aos moradores da região um espaço para o descarte de resíduos eletroeletrônicos com segurança e a garantia de uma destinação adequada.

 

– Compostagem: o processo faz parte da postura e comportamento da gestão do MULTI junto a parceiros a fim de dar continuidade a iniciativas que busquem o cuidado ao meio ambiente. A empresa responsável pela coleta seletiva, tratamento e destinação adequada dos resíduos das operações gastronômicas para a compostagem é a Agroecológica Serviços Ambientais. Para o andamento do serviço, cada operação fez o investimento de bombonas de 50 litros de acordo com gravimetria (medição dos resíduos) da operação para a destinação dos resíduos internamente no restaurante até a chegada dos técnicos que pesam os resíduos e fazem a coleta para a destinação adequada. Esse é um custo extra para as operações e que visa, além da adequação à legislação, uma prática sustentável do negócio. A empresa recolhe três vezes por semana os resíduos das operações gastronômicas, além de demandas de pequenos geradores, pela prática da coleta do baldinho.

Crédito José Somensi

Deixe uma resposta